Texto de Airton Gontow

Fotos de Maria Pereira Gontow

 

Situada no Noroeste da Inglaterra, com cerca de 500 mil habitantes, Liverpool tem inúmeras atrações, como museus, catedrais, uma impactante região portuária, times de futebol, com destaque para o atual campeão europeu e, claro, muitas referências aos Beatles. Veja aqui uma Seleção com 11  lugares imperdíveis da cidade.,

 

Anoitecer exuberante em Liverpool sim2

Anoitecer exuberante em Liverpool

 1Radio City Tower (1 Houghton St, Liverpool L1, 1RL) – Do alto dos seus 140 metros de altura, a Torre, a maior de Liverpool tem a força simbólica de lembrar a todos que foi através das antenas de rádio que o som dos Beatles primeiro se espalhou pela cidade, pela Inglaterra e pelo mundo. Fica perto da Estação de Trem. O preço da entrada é de £6;

2 Catedral de Liverpool (St. James Mt. Liverpool, L1/7AZ) – Até quem não é religioso entra no local e exclama: “My God!”.  Essa estupenda catedral anglicana, construída em estilo neogótico, com 101 metros de altura, 189 metros de comprimento e 9.678m2, é a maior da Inglaterra e a mais extensa do mundo. Foi inaugurada em 1924. Os detalhes também fascinam, como o altar repleto de referências bíblicas, os vitrais coloridos, os sinos enormes e o órgão com dez mil tubos. A entrada é franca, mas para subir na torre, que traz uma das mais belas vistas da cidade, o turista paga 5,5 libras;

 

3 – Pier Head – É preciso caminhar por essa bela região revitalizada, à beira do rio Mersey, em meio a centenas de gaivotas e observar seus prédios majestosos e históricos, de grande beleza arquitetônica, como as “Three Graces (Três Graças): Royal Liver, Cunard e Port of Liverpool.

Chegada à região do Pier Head

Chegada à região do Pier Head

Esses edifícios foram erguidos como símbolos do prestígio internacional do comércio da cidade. Da região, partem passeios de barco pelo rio Mersey.

 

Estátua dos Beatles: como se os encontrássemos no meio de uma caminhada

4  – Estátua dos Beatles – Inaugurada em 2015,  a obra do escultor Andy Edwars, com mais de dois metros de altura e 1,2 toneladas, é ao mesmo tempo leve e imponente, divertida e emocionante.  Na cena, Paul McCartney, George Harrison, Ringo Starr e John Lennon caminham, observam a cidade e conversam, trajando com despojada elegância gravata e capa de chuva. Poucos resistem à tentação de tirar uma selfie com os 4Fab! E por que resistir? A gente se sente como se fosse o quinto Beatle…;

 

5 – Museu de Liverpool (Waterfront, Woodside, Pier Head, Liverpool L3 1DG) – Fica quase em frente à estátua dos Beatles. Com oito mil m2 e arquitetura moderna e impactante, foi inaugurado em 2011. Conta a história da cidade e celebra seus feitos, com destaque à arte, música, esportes e indústria. Metade de um andar é dedicado aos Beatles. A entrada é gratuita;

 

6 – Roda-Gigante de Liverpool (Keel Wharf, Liverpol, L3 4FN) –  Não compare com a London Eye!  É outra roda-gigante, outra cidade, outro rio! Inaugurada em 25 de março de 2010, na orla do rio Mersey e próxima ao Pier Head, a Wheel of Liverpool tem 365 toneladas, 60 metros de altura e 42 cabines de vidro, entre elas uma VIP de luxo.  É mais uma forma incrível de ter uma visão panorâmica da cidade. Por ser mais baixa que a Rádio City Tower e a Torre da Catedral, permite uma vista mais próxima, divertida e romântica, onde é possível ver os detalhes da região da orla. A entrada custa a partir de 9 libras;

 

7 –  Cavern Club (10 Mathew St, Liverpool L2 6RE) – Aqui não é o lugar original. Mas não importa! Está a 15 metros de onde ficava o primeiro, fundado em 1957, como um clube de jazz, e demolido em 1973. A nova construção recebeu os mesmos tijolos da antiga e a casa foi reaberta em 84. O local recebe apresentações musicais e milhares de turistas. Na entrada, há uma estátua de Lennon e um Wall da Fama, com os nomes de músicos que estiveram na casa, como o brasileiro Ivan Lins. Entrar na Caverna é como ingressar em um túnel, do tempo. Foi no icônico pub que os Beatles realizaram seu primeiro show, em 1961. Fizeram no local 292 apresentações. A última delas em 3 de agosto de 63.

 

8 - Albert Dock –  À beira do Rio Mersey,  abriga  armazéns e docas do antigo porto de Liverpool, construído em 1846,  com ferro fundido, pedras e tijolos, o que representou uma revolução à época. O local foi castigado durante a 2ª. Guerra Mundial. Depois, passou por problemas financeiros até ser fechar em 72, para reabrir, revitalizado, nos anos 80. Virou um polo de lazer, cultura e entretenimento, com restaurantes, pubs, lojas e museus. Em 2004, a área foi declarada Patrimônio Mundial da Unesco.

 Albert Dock: belo e recheado de atrações

Albert Dock: belo e recheado de atrações

É um prazer caminhar por Liverpool

É um prazer caminhar por Liverpool

Em um mesmo prédio (Liverpool L3 4AQ), há dois importantes museus: o Marítimo traz exposições sobre a história da marinha britânica, além de uma exposição sobre o Titanic, que foi registrado no Porto de Liverpool. Já o da Escravidão mostra a cruel história vivida durante séculos por milhões de ser humanos. Também no Albert Dock está a Tate Liverpool (Liverpool Waterfront, Liverpool L3 4BG), inaugurada em 1988, que tem um acervo com a arte britânica de 1.500 até os dias atuais, além de arte moderna e contemporânea britânica e internacional.  Como a quase totalidade dos museus britânicos tem entrada franca para as exposições permanentes, com obras artistas como Picasso, William Blake, Salvador Dalí e Matisse, e exposição provisórias pagas e gratuitas. Para quem viaja com crianças é literalmente saboroso visitar a loja onde 15 mil balinhas (Jelly Beans) formam um mosaico dos Beatles;

 

9 – The Shankly Hotel – Bem localizado, é um lugar para se hospedar ou simplesmente visitar. O hotel é uma ode ao ex-treinador Bill Shankly, que comandou o Liverpool por 15 temporadas, entre as décadas de 1950 e 1970.  Em todas as salas, menos nos quartos, há referências às conquistas e trajetória de Shankly. No teto do salão de entrada, uma linha do tempo conta sua história. Nos corredores e paredes, taças, faixas, painéis fotográficos e bolas antigas revelam momentos marcantes da carreira do lendário treinador escocês. Por toda a parte, há frases impactantes ditas por Shankly, como “Liverpool was made for me and I was made for Liverpool”  (O Liverpool foi feito para mim e eu fui feito para o Liverpool)  e “Although I’am a Scot, I’d be proud to be called a Scouser” (Apesar de eu ser escocês eu ficaria orgulhoso de ser chamado de  liverpoolzense).

The Shankly Hotel: lugar para se hospedar ou simplesmente visitar.

The Shankly Hotel: lugar para se hospedar ou simplesmente visitar.

 

The Beatles Story é passeio imperdível em Liverpool

The Beatles Story é passeio imperdível em Liverpool

10 –The Beatles Story –O número dez não é por acaso. É a atração principal para os turistas que procuram por referências daquela que é considerada por muitos como a principal banda de todos os tempos. É o maior museu dedicado aos Beatles no mundo.  Inaugurado em 1990, tem objetos e cenários que contam a vida e a trajetória da banda, como as primeiras guitarras de George e Paul, a reprodução do Casbah Coffe Club (onde nasceram os Beatles, na época ainda com o nome ‘The Quarrymen”), a reprodução da região do The Reeperbahn, em Hamburgo, Alemanha, onde a banda tocou no início dos anos 60; o estúdio onde gravaram  com Tony Sheridan, uma réplica do Cavern Club, uma decepcionante Abbey Road, o submarino amarelo e até uma réplica de parte do avião que levou a banda para os EUA, de onde dá para ouvir e se impressionar com a histeria dos fãs no aeroporto; o cenário da última apresentação da banda, no dia 30 de janeiro de 1969, no telhado da Apple em Londres, os óculos redondos de Lennon e ao final uma sala dedicada a cada um dos Beatles. O preço é de £16.95, com um áudio-guia incluso. Tem em português. O ticket dá direito à entrada em uma outra parte do museu, situada no Pier Head, que traz as influências musicais da banda. Muitos turistas deixam de fazer essa parte da visita, por falta de tempo, mas também de informação;

Réplica do icônico palco do Cavern Club na The Beatle Story

Réplica do icônico palco do Cavern Club na The Beatle Story

 

 

11  - Tour para os Beatlemaníacos – É indicado para quem é fã de carteirinha da banda, interessado em visitar os pontos marcantes na vida dos Beatles.  A maioria dos lugares está em áreas afastadas do centro. O Magical Mistery Tour percorre por duas horas (18,95 libras por pessoa) os principais pontos relacionados aos 4Fab, como as casas onde nasceram e viveram. Magical Mystery Tour é também o nome do disco lançado pela banda em 1967. Entre as áreas visitadas, estão a Penny Lanne, onde os integrantes da banda, com destaque Lennon e Paul passaram a infância e que inspirou a música “Panny Lane”; St. Peter’s Church, onde Paul e John se encontraram pela primeira vez; e o Strawberry Fiels, que era um orfanato mantido pelo Exército da Salvação, muito próximo à residência de John, que adorava se refugiar ali. A boa novidade é que o local, que inspirou a música “Strawberry Fields Forever”, e até agora pode ser visto e fotografado apenas por fora, em breve abrirá seus famosos portões para o público, em projeto que inclui restaurante, café e um centro para exposições.  (A.G)

 

Atrações shows de Bola!

 

Anfield Stadium 

Anfield Stadium: templo do futebol mundial

Anfield Stadium: templo do futebol mundial

 

Bolinhas vermelhas dificultam a visão para o estádio do rival Everton

Inaugurado em 1884, em Liver­pool, foi reformado e ampliado para 54 mil lugares em 2016, mas ainda tem aquela atmosfera de lugar histórico. Junto ao portão de entrada, a frase com o lema da torcida You’ll Never Walk Alone – “Você Nunca Caminhará Sozinho”, quase um segundo hino. Por 2h, ao preço de £20, o visitante faz um passeio bem programado, que reúne história e emoção. É marcante ver expostos no vestiário dos ad­versários os uniformes de grandes jogadores que enfrentaram o clube, como Xavi, Iniesta, Cristiano Ronaldo, Messi e o brasileiro Cafu. Tam­bém é bacana estar no vestiário do time inglês jun­to aos armários de Mané, Salah e dos brasileiros Alisson, Fabinho e Firmino.  O passeio dá acesso ao Museu do Liverpool, onde há muitas referências aos cinco títulos de campeão europeu, nas temporadas de 1976/77, 1977/78, 1980/81, 1983/84 e 2004/2005. O Liverpool é o maior vencedor inglês da competição. Flamenguis­tas e são-paulinos ficariam orgulhosos ao ver que não há nada sobre finais de mundiais perdidas pelo time inglês, em 1981 e 2005. Na sua visita, certamente já haverá destaque para o sexto título, conquistado este ano. Na entrada do museu, um uniforme, antigo, do maior adversário da cidade, o Everton. “Anfield foi a casa do Everton de 1884 a 1892”, diz a plaque­ta. Exemplo de que civilidade e precisão histórica podem andar junto com a paixão.

Sinal-de-respeito-e-precisão-história: museu-do-Liverpool-começa-com-um uniforme-do-Everton.

Sinal-de-respeito-e-precisão-história: museu-do-Liverpool-começa-com-um uniforme-do-Everton.

Nas janelas do Anfield, bolinhas vermelhas adesivadas atrapalham a vista para o estádio do Everton, o Goodison Park. A brincadeira tem origem em mais uma frase antológica de Shankly: If Everton were playing at the bottom of the garden, I’d pull the curtains. – “Se o Everton estivesse jogando no fun­do do meu jardim eu fecharia as cortinas.”  Apesar das provocações, a rivalidade vermelha e azul, iniciada em 1894, não é imensa. O Beatle Paul McCarney é o exemplo mais notório desse espírito amigável. Torcedor do Everton, também simpatiza com o Liverpool, para quem torce em todos os jogos, menos quando o adversário é o próprio Everton.

Um dos momentos mais marcantes do tour no Anflied.

Um dos momentos mais marcantes do tour no Anflied.

O momento mais marcante do passeio é quando se chega dentro do es­tádio, com vista para o gramado impecável e um aparelho de realidade aumentada mostra o An­field lotado. Para onde direcionamos o aparelho, ouvimos e vemos o som e as imagens da torcida entoando seu canto mais famoso. A gente se sente como se estivesse em dia de jogo.

Goodison Park – As bolinhas impedem a visão de longe, mas se sobrar um tempinho vale a pena uma visita ao Goodison Park, com capacidade para 39.572 pessoas, que pode ser feita por £15. O passeio segue o modus operandi dos outros em estádios ingleses, mas há atrações especiais. Uma delas é o fato de jogarem no Everton os brasileiros Bernard e Richarlison. Mas acima de tudo é porque foi onde aconteceram as três partidas da Seleção Brasileira na Copa de 66, quando a então bicampeã mundial foi eliminada na primeira fase. O estádio foi o palco da última vez em que Pelé e Garrincha atuaram juntos pelo Brasil em um jogo oficial. Foi em 12 de julho de 1966, na vitória por 2 a 0 sobre a Bulgária, pela Copa do Mundo, com gols, ambos de falta, dos dois maiores craques da história do País. Pelé e Mané nunca foram derrotados atuando juntos pela seleção canarinho.  Em 40 partidas, foram 36 vitórias e quatro empates. Pelé fez 44 gols e Garrincha 11.  Assistir a Pelé e Garrincha em campo seria tão antológico quanto ver um show com Lennon e McCartney em Liverpool. A Grande Arte sempre vale a pena. Aqui não há aparelho de realidade aumentada. Mas há o cérebro e o coração: feche os olhos e Imagine…  (A.G)

Box Serviços

Passagens aéreas – A British Airways tem voos diárias para Londres, a partir de São Paulo.  Também há opções de voos com conexões em algumas das principais cidades da Europa. É sempre bom pesquisar companhias como KLM, Air France, Tap Air Portugal, Turskish Airlines, Delta, Virgin Atlantic, Air Europa, Norwegian Air, Royal Air Maroc e Latam Linhas Aéreas.

Football is Great _- A Abreu (abreutur.com.br) possui diversos pacotes exclusivos para o Reino Unido, voltados aos apaixonados por futebol e turismo. Há opções de quatro a seis dias, que incluem Manchester, Liverpool e Londres (seis dias, a partir de 1.016,00 euros por pessoa), Liverpool e Londres (cinco dias, a partir de 946,00 por pessoa) e “só” Londres (quatro dias, a partir de 583 euros). Não estão inclusos os voos internacionais entre Brasil e a Grã-Bretanha, nem ingressos para os jogos. Para mais informações e para reservas desses pacotes, visite www.abreutur.com.br e vá até a seção Europa – Football is GREAT. Mais informações também estão disponíveis no site www.visitbritain.com.

Viajar no Reino Unido - Os ingleses inventaram as primeiras locomotivas no início do século 19, o que acelerou a Revolução Industrial. Séculos depois, o invento impulsiona também na Revolução da Indústria do Turismo. Como é fácil viajar de trem através do Reino Unido! O Tour do futebol não é diferente. O melhor jeito para chegar às cidades, com conforto e rapidez, é de trem. Há vários tipos de “pacotes” do BritRail Pass (britrail.com), como dez dias de viagens no período de mês ou viagens ilimitadas durante um mês,  para embarcar nos trens da National Rail Network para cidades da Inglaterra, Escócia e País de Gales. Para quem planeja bem a viagem, geralmente essas opções são vantajosas em relação à compra de cada trecho.

Para assistir aos jogos – A Premier League  (premierleague.com) informa que o turista que viaja por conta própria pode encontrar ingressos nos sites do próprios clubes. Também é possível adquirir ingressos através da Abreu.

VisitBritain é a organização oficial do governo britânico encarregada da promoção do turismo da Grã-Bretanha aos consumidores, ao setor de viagens e à mídia em 21 mercados no mundo, incluindo o Brasil. Informações sobre a Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte estão disponíveis em  www.visitbritain.comwww.visitbritain.org e www.facebook.com/lovegreatbritain.br.

Onde ficar em Liverpool:

The Shankly Hotel –  www.shankyhotel.com

 

O repórter Airton Gontow e a repórter fotográfica Maria Pereira Gontow viajaram com o apoio do Visit Britain.

 

 

 

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS