Giro de Notícias

Ter um site bonito não é garantia de bons negócios!

0Shares

Segundo Márcio Rodrigues, especialista em links patrocinados,  se o site não for bem administrado,  o investimento não garante retorno

Cada vez mais,  consumidores em busca de produtos ou serviços utilizam a internet como uma ferramenta para encontrar o que estão procurando. Digitam o termo desejado em sites de busca e lá aparecem milhares de opções que remetem a ele.  Se o empreendedor, investiu dinheiro na criação de um site na expectativa de atingir esses clientes logo de cara, pode ficar decepcionado com os resultados.

Aparecer em sites de busca, de preferência entre as primeiras colocações, não é automático.

Segundo Márcio Rodrigues, especialista em gerenciamento de links patrocinados certificado pelo Google, em Jundiaí, no Interior de São Paulo, investir em gerenciamento do SEO (Search Engine Optimization) significa personalizar o site seguindo padrões reconhecidos pelos buscadores. Ou seja, a estética por si só não basta para atrair novos clientes. “É indispensável manipular os mecanismos de busca, falando a mesma linguagem deles. Sem isso, o site ficará perdido em meio a milhares de concorrentes”, afirma.

Além de ganhar espaço por meio da otimização do site, outra ferramenta importante é a utilização de links patrocinados, que permitem que determinada marca apareça com destaque nas pesquisas online.

Utilizar esse tipo de divulgação tem atraído a atenção de pequenos e médios empresários da região de Jundiaí, entre eles muitas pessoas acima dos 40 anos de idade, já que não se paga nada pela exibição dos anúncios. Só existe cobrança quando um visitante clicar sobre ele. Esta é a garantia de que o investimento trará resultados. A tarifação mais comum para quem anuncia no Google é baseada no conceito de Custo por Clique (CPC).

A necessidade de aparecer com destaque nas buscas feitas pela internet se intensifica cada dia mais, pois, conforme levantamento da empresa WordStream, a publicidade é a principal fonte de recursos do Google. Da receita de 2011 da companhia, de US$ 37,9 bilhões, 96% corresponderam a anúncios, ou seja, compra de links patrocinados de empresas.

Últimos posts por Redacao (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *